Dia: 22 de dezembro de 2023

Diniz elogia Fluminense e diz que City é o melhor do mundo

Após a derrota por 4 a 0 para o Manchester City na final do Mundial de Clubes, o técnico do Fluminense, Fernando Diniz, expressou seu lamento pelo resultado, sobretudo pelo gol sofrido nos primeiros 40 segundos da partida. No entanto, Diniz fez questão de ressaltar a trajetória do Fluminense ao longo do ano, destacando também o esforço da equipe na sexta-feira (22). O treinador elogiou o Manchester City, referindo-se à equipe de Pep Guardiola como “a melhor do mundo”.

“Enfrentamos o que talvez seja o melhor time do mundo nos últimos cinco anos. Eles têm uma incrível capacidade de definir o jogo. Sofremos um gol muito cedo, e o segundo, com todo mundo atrás, não deveríamos ter levado. No entanto, a equipe tentou jogar, pressionando alto o tempo todo, e conseguimos sair na maioria das vezes. Estamos de parabéns, os jogadores deram o seu melhor”, declarou Diniz ainda no gramado do estádio Rei Abdullah, em Jidá, na Arábia Saudita.

Diniz sublinhou a importância de não dar “brechas” ao enfrentar o Manchester City, destacando a precisão do time inglês em aproveitar as falhas adversárias.

Por sua vez, o zagueiro Nino, autor de um gol contra na decisão, enfatizou as convicções da equipe. “Tudo o que alcançamos neste ano foi graças às nossas convicções. Não abandonamos nossas características. Houve um momento em que precisávamos reverter um resultado na final, e conseguimos uma goleada por causa dessas características”, referindo-se à final do Campeonato Carioca contra o Flamengo em abril.

O Fluminense procurou manter seu estilo de jogo diante do City, especialmente no primeiro tempo, trocando passes e ameaçando o gol adversário em algumas ocasiões. A melhor chance foi uma cabeçada de Jhon Arias, defendida por Ederson.

Arias foi eleito o terceiro melhor jogador do Mundial, ficando atrás do lateral direito Kyle Walker e do meio-campista Rodri, este último sendo a bola de ouro do torneio, ambos do Manchester City.

Ao final da partida, que não teve lances violentos, houve um princípio de confusão com Jack Grealish e Kyle Walker de um lado, e Martinelli e Felipe Melo do outro. Apesar do empurrão de Felipe Melo em Walker, a situação foi rapidamente contida.

A goleada sofrida pelo Fluminense representa a segunda maior derrota em uma final de Mundial, ao lado dos 4 a 0 que o Santos tomou do Barcelona em 2011. A maior foi em 1961, quando o Peñarol venceu o Benfica por 5 a 0 no jogo de volta do torneio intercontinental. Na época, a decisão era em duas partidas, podendo haver um jogo extra em caso de vitória de cada equipe nas duas primeiras.

Veja a lista com todos os campeões do Mundial de Clubes da Fifa

O Manchester City alcançou um marco histórico ao conquistar sua primeira taça do Mundial de Clubes da Fifa, derrotando o Fluminense por convincentes 4 a 0 nesta sexta-feira (22).

A vitória consolida o City como o 12º time a erguer o troféu desde o início da competição em 2000, que atingiu sua 20ª edição neste ano. Vale ressaltar que a entidade máxima do futebol reconhece as disputas realizadas entre 1960 e 2004 como Copa Intercontinental.

Ao se juntar aos compatriotas Manchester United (2008), Liverpool (2019) e Chelsea (2021) como campeões ingleses, o Manchester City adiciona mais uma glória ao futebol do país. O Real Madrid detém a liderança como o maior vencedor neste formato, com impressionantes cinco títulos.

A última equipe brasileira a triunfar no torneio foi o Corinthians, que conquistou a taça em duas ocasiões, sendo a última delas em 2012. Na primeira edição do Mundial da Fifa, em solo brasileiro, o Corinthians emergiu vitorioso ao superar o Vasco na emocionante decisão por pênaltis (4 a 3 para os paulistas) no Maracanã.

O Mundial de Clubes da Fifa foi retomado em 2005, quando o São Paulo protagonizou uma vitória épica sobre o Liverpool, com um marcador de 1 a 0 na decisão. No ano seguinte, foi a vez do Internacional celebrar, ao vencer o Barcelona por 1 a 0 e levar o prestigioso caneco.

Segue abaixo a lista de todos os campeões do Mundial de Clubes da Fifa:

  • 2023: Manchester City (ING)
  • 2022: Real Madrid (ESP)
  • 2021: Chelsea (ING)
  • 2020: Bayern de Munique (ALE)
  • 2019: Liverpool (ING)
  • 2018: Real Madrid (ESP)
  • 2017: Real Madrid (ESP)
  • 2016: Real Madrid (ESP)
  • 2015: Barcelona (ESP)
  • 2014: Real Madrid (ESP)
  • 2013: Bayern de Munique (ALE)
  • 2012: Corinthians
  • 2011: Barcelona (ESP)
  • 2010: Internazionale (ITA)
  • 2009: Barcelona (ESP)
  • 2008: Manchester United (ING)
  • 2007: Milan (ITA)
  • 2006: Internacional
  • 2005: São Paulo
  • 2000: Corinthians

Manchester City bate Fluminense e é campeão do Mundial

Reconhecida como a melhor equipe do mundo há algum tempo, o Manchester City celebra agora a consagração como campeão. Em uma atuação magistral, o time inglês venceu o Fluminense por 4 a 0 na última sexta-feira (22), na Arábia Saudita, assegurando, pela primeira vez, o título de Campeão Mundial.

Os responsáveis pelos gols do título foram Julián Álvarez (2), Nino (contra) e Foden, encerrando um ano espetacular que não só viu o clube consolidar sua soberania no Campeonato Inglês, mas também conquistar a tão cobiçada Liga dos Campeões da Europa. Agora, o Manchester City adiciona o título mundial à sua galeria, superando tanto o campeão asiático quanto o sul-americano no torneio.

O domínio da equipe já se fazia notório em solo nacional, com cinco dos últimos seis troféus da Premier League, amplamente reconhecida como a melhor liga de futebol do mundo. No entanto, faltava o sucesso internacional, um feito crucial não apenas para os torcedores, mas também para os investidores que aportaram vultuosas quantias em seu talentoso elenco.

Desde 2008, o Manchester City está sob a propriedade do Abu Dhabi United Group, liderado pelo xeque Mansour bin Zayed Al Nahyan, membro da monarquia dos Emirados Árabes Unidos. Na prática, o clube pertence à família real, que investiu 2,27 bilhões de euros (R$ 12,16 bilhões, na cotação atual) para alcançar a almejada glória continental, personificada pelo título europeu.

Além das conquistas em campo, o clube desempenha um papel importante na projeção da imagem dos Emirados Árabes Unidos, vinculada a questões de ditadura e restrições à liberdade de expressão. Desde 2012, quando o City conquistou o Campeonato Inglês após 44 anos, os resultados esportivos têm sido um meio eficaz para suavizar a imagem do governo dos Emirados, especialmente a partir da gestão do City.

Em 2016, o renomado técnico Pep Guardiola assumiu o comando da equipe. Enquanto consolidava seu domínio na Inglaterra, a busca pela Liga dos Campeões tornou-se uma prioridade. Após uma final frustrante em 2021, na qual foi derrotado pelo Chelsea, o City finalmente alcançou seu objetivo em 2023, triunfando no Mundial de Clubes.

Na Arábia Saudita, mesmo desfalcado de três titulares, dois deles peças-chave, o Manchester City impôs-se nas semifinais contra o japonês Urawa Red Diamonds, com um expressivo 3 a 0. A performance, marcada por 25 finalizações contra duas do adversário, evidenciou a autoridade do time em campo.

Na final contra o Fluminense de Fernando Diniz, o Manchester City demonstrou sua superioridade desde o primeiro minuto. O gol de Julián Álvarez, logo no início, praticamente sepultou as esperanças do desafiante, que, apesar de tentar impor seu estilo de jogo, não conseguiu conter a força ofensiva do time inglês.

O Fluminense teve uma chance com um cabeceio de Arias, mas a reação se tornou quase impossível após o próprio Nino marcar contra aos 27 minutos. Mesmo com as mudanças de Diniz, o Manchester City manteve o controle, ampliando a vantagem no segundo tempo com gols de Foden e Álvarez.

A vitória por 4 a 0 não apenas coroou o Manchester City como campeão mundial, mas também reforçou sua posição como uma potência do futebol internacional. O título é a culminação de anos de investimento, planejamento e do talento excepcional do elenco, colocando o clube no topo do cenário futebolístico global.