Categoria: Finais Gerais

Museu Pele recorde de visita

Museu Pelé tem boom de visitações após morte do Rei

Mais de 11 mil pessoas visitaram o museu que leva o nome de Pelé, em Santos, São Paulo, no mês de janeiro deste ano. Este número é o segundo maior desde o mês de inauguração do espaço, em junho de 2014, com 23.960 pessoas. O museu vive um boom de visitações desde a morte do craque, no último dia 29 de dezembro. Em janeiro, 11.349 pessoas passaram pelo local.

“Só no dia 30 de dezembro tivemos mais de 6 mil presentes, o dobro da média mensal de 2022, que é de 3.663, e o maior número já registrado em um só dia. Estamos com um movimento novo que nunca tivemos anteriormente”, disse Selley Storino, secretária de empreendedorismo, economia criativa e turismo de Santos.

“Há muitas pessoas da própria cidade que nunca haviam visitado o local. Chegamos a abrir já com fila formada do lado fora para entrar, isso não acontecia”, acrescentou.

No último ano, o Museu Pelé recebeu 29.308 pessoas, 7.708 delas em janeiro. Exceção feita a 2021, por causa da pandemia da Covid-19, o mês é sempre o mais movimentado, impulsionado pelo intenso volume de turistas em todo o litoral e pela abertura da temporada de cruzeiros. Mesmo assim, jamais havia sido ultrapassada a casa dos 10 mil.

A melhor temporada foi a inaugural, em 2014, quando 56.890 pessoas passaram pelo local. Desde então, houve queda. Mais visitantes estiveram em atrações como o Aquário Municipal, o Museu do Café, o Orquidário Municipal, o Bonde Turístico e o próprio Memorial das Conquistas, do Santos Futebol Clube.

 

O governador Geraldo Alckmin participa da Inauguração do Museu Pelé - Acervo do Atleta Edson Arantes do Nascimento, o "Pelé" em Santos, Foto Divulgação
Inauguração Museu Pelé.

Administrado desde maio de 2016 pela prefeitura, o museu do Rei do futebol sempre enfrentou dificuldades financeiras. Isso causou também problemas estruturais: no casarão tombado de 4.134 m², no centro histórico da cidade, eram comuns infiltrações aparentes na fachada e alagamentos.

Em 2019, o local ficou fechado pelo descolamento de reboco em paredes e devido a uma queda de parte do teto onde ficam expostas as peças. A prefeitura chegou a suspender as visitas por quatro dias por medida preventiva.

“Estou à frente do espaço há quatro anos e estamos trabalhando muito pela recuperação da infraestrutura e por um novo olhar para o museu. Houve épocas, realmente, de visitantes reclamarem de goteiras, de paredes descascadas e de baldes espalhados por conta da chuva. Suspendemos a cobrança dos ingressos muito em função disso. Agora tudo foi sanado, acrescentamos detalhes nas exposições e criamos uma sensação de aconchego”, afirmou Paulo Monteiro, diretor do museu.

Segundo ele, foi necessário ressignificar alguns espaços: um deles ficou reservado para exposições temporárias e atualmente recebe a “Galeria do Rei”, com 24 pinturas de artistas em homenagem aos 80 anos de Pelé.

Outra conta com mais de 500 imagens captadas por José Dias Herrera, primeiro a registrar a chegada do jogador ao Santos, em 1956. O fotógrafo acompanhou o craque em excursões e ao longo de toda a trajetória dele no clube.

No último ano, entre abril e julho, o espaço foi fechado para pintura geral, reformas do sistema de calhas e do telhado, revisão na parte elétrica e melhorias de iluminação e no mobiliário. Foram cerca de R$ 700 mil investidos.

“Hoje há uma constante manutenção, o museu está cuidado. Temos ainda poucos funcionários, mas procuramos qualificá-los para ajudar nas visitas”, disse Monteiro.

Para ser construído, o equipamento recebeu aproximadamente R$ 50 milhões dos governos federal, estadual e municipal e de patrocinadores angariados pela Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) Ama Brasil, primeira gestora do equipamento. Nessa época, acumulou longo histórico de problemas de contas atrasadas.

Em 2017, já com a prefeitura como gestora, o museu tentou ainda parceria com a empresa argentina Museos Desportivos, reconhecida por trabalhos na área de museologia em clubes como Boca Juniors, River Plate, Benfica e Juventus.

O Santos Futebol Clube também chegou a formalizar em 2019 proposta de parceria para administrar o museu. A ideia era usar o espaço para “desintoxicar a Vila Belmiro”, remanejando quase cem funcionários que trabalham nas dependências do estádio para espaços não utilizados no museu.

“Recentemente, um terminal recebeu 18 ônibus de turistas que desceram dos navios. Quatorze deles ficaram em Santos e foram para o museu, e só quatro subiram para São Paulo. O prefeito tem se preocupado muito com o turismo”, observou a secretária Selley.

 

Museu do Pelé em Santos
Museu do Pelé em Santos

 

São cada vez mais frequentes os eventos próximos ao museu, localizado no Valongo. Em novembro, a prefeitura promoveu um evento voltado ao público geek, com cinco dias de duração. Semanas antes, aproveitando a Copa do Mundo, havia organizado no último andar do equipamento um campeonato de futebol de botão.

“Queremos isso, um festival funcionando no Valongo e outro no Paquetá, por exemplo. Também haverá ligação com o novo mercado municipal. As atividades culturais funcionarão como uma mola propulsora para os equipamentos e o centro histórico”, afirmou o prefeito Rogério Santos (PSDB).

A expectativa, agora, é manter o fôlego e ainda mais vivos a imagem, os recordes e os feitos de Pelé.

Abertura da Copa A Gazetinha em Barra de São Francisco

O coordenador da Copa A Gazetinha, Rodrigo Janc, filho do jornalista José Antônio Nunes do Couto, o Janc, idealizador da competição, que chega à sua 45ª edição, abriu, na noite desta segunda-feira, 18, em Barra de São Francisco, as finalíssimas da Copa A Gazetinha 2022 que contam com 22 equipes disputando os títulos de campeã e vice das categorias Sub-11, 12/13 e 14/15.

Rodrigo agradeceu ao prefeito Enivaldo dos Anjos, pela ‘parceria de longa data’ e ressaltou a importância da competição para todo o Espírito Santo.

“Estamos cumprindo uma missão, de formar não apenas atletas, mas cidadãos para o Brasil e até para o mundo”, disse citando o jogador Sávio, ex-craque do Flamengo, que foi descoberto jogando em uma edição de A Gazetinha.

“Quero elogiar aqui a secretária municipal de Esportes, Grasiele Marques, uma apaixonada pelo esporte, uma praticante. É emocionante ver a vibração dela. Quero destacar também o trabalho da Polícia Militar e destacar aqui o capitão Prates, que jogou na Copa A Gazetinha, pelo Caxias, na categoria Sub-11, quero agradecer também a participação e o apoio de todos os pais”, disse Rodrigo.

Antes de encerrar, Rodrigo leu uma nota do pai, o jornalista Janc que, por problemas de saúde, não pode vir para a abertura do evento: Meus amigos e amigas, problemas de saúde me impediram de viajar, mas quero agradecer o apoio do prefeito Enivaldo dos Anjos, que acontece desde a criação da Copa A Gazetinha, com a realização da primeira finalíssima em Barra de São Francisco.

O vereador Leandro Ais, representando a Câmara Municipal também falou da importância do esporte para a formação dos cidadãos e desejou boa sorte a todas as equipes.

A secretária municipal de Esportes, Grasiele Marques, encerrou a cerimônia de abertura, falando da importância do evento para o Estado e para Barra de São Francisco. Ela agradeceu ao prefeito Enivaldo dos Anjos pelo apoio e confiança, a toda à sua equipe, pela disponibilidade e entrega e, antes de fazer uma oração, colocou o município à disposição de todos os visitantes.

“Barra de São Francisco acolhe todos vocês de braços abertos. O que vocês precisarem, podem nos procurar. E que Deus abençoe a todos.”

Barra de São Francisco ganha no

Sub-15 e perde no Sub-11 na estreia

As equipes de Barra de São Francisco estrearam na noite desta segunda-feira. Na primeira partida da noite, a seleção Sub-11 perdeu por 1 x 2 para o Arena, de Linhares.

Marcaram para o Arena, Davi Zeferino (18) e Arthur Oliveira (11), com Davi Muquy descontando para Barra de São Francisco.

A arbitragem ficou por conta de Marcos Colodetti (Principal), Arildo Vaz e Lucas Murer, tendo Rodolpho Rocha como quarto árbitro.

No Sub-15, Barra de São Francisco venceu Pedro Canário por 1 x 0, com gol de Riquelme Dutra.

A arbitragem teve Elias Pessoa como árbitro principal, Arildo Vaz e Lucas Murer nas alas e Elias Gomes como quarto árbitro.

Os jogos prosseguem até o próximo sábado, 23, quando serão conhecidos todos os campeões.

Organização

Todos os atletas das equipes de outros municípios estão hospedados na Escola Municipal Vicente Amaro, que é integrada ao estádio e terão alimentação fornecida pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel).

A competição é organizada e realizada pela Copa A Gazetinha/JANC e tem por finalidade unir as comunidades por meio do esporte, promovendo a integração entre as agremiações, atletas, dirigentes, torcedores e desportistas.

A Copa A Gazetinha dará troféu do 1º ao 3º lugares e medalhas do 1º ao 4º lugares nas Finais Gerais.

Fonte: Secom Prefeitura de Barra de São Francisco