Tag: neymar

Ney faz “rolês” e tratamento de lesão em alto mar

Em meio à árdua jornada de recuperação da séria lesão no joelho esquerdo, que adiará seu retorno aos campos até agosto de 2024, o astro da Seleção Brasileira, Neymar, de 31 anos, direciona sua energia para outras frentes.

O cruzeiro “Ney em alto mar” teve início na terça-feira (26), um passeio marítimo de três dias repleto de entretenimento, incluindo shows de artistas renomados como Péricles, Belo, Guimê e Orochi. A embarcação MSC Preziosa oferece ainda atrações como cinema 4D, cassino, academia, restaurantes, pista de boliche e simulador de carros de Fórmula 1, tudo isso na companhia do atleta do Al Hilal.

Os preços das cabines começavam em torno de R$ 5.000, podendo alcançar até cerca de R$ 30 mil. Os organizadores relatam que os cerca de 4,3 mil ingressos colocados à venda foram esgotados, resultando em um faturamento estimado acima de R$ 20 milhões. O embarque e desembarque ocorrem em Santos, com uma parada programada em Búzios, na Região dos Lagos, Rio de Janeiro.

Publicações nas redes sociais evidenciaram que Neymar embarcou no cruzeiro apoiado em uma muleta no braço direito, dispensando o apoio para ambos os braços, como ocorria nas últimas semanas.

O jogador sofreu a ruptura do ligamento cruzado anterior e do menisco do joelho esquerdo em outubro, durante a derrota da seleção brasileira por 2 a 0 contra o Uruguai nas Eliminatórias para a Copa de 2026.

O médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, responsável pela cirurgia de recuperação do atacante, estima que Neymar só estará pronto para voltar a campo em agosto de 2024, o que o torna indisponível para a Copa América, iniciada em 20 de junho nos Estados Unidos, onde o Brasil terá que competir sem seu principal jogador.

Embora afastado do futebol, Neymar evidencia, através das redes sociais, seu comprometimento com o tratamento da lesão durante o cruzeiro. Em uma postagem no Instagram na terça-feira, ele mostrou-se deitado em uma cama dentro do navio, com a perna esquerda envolta em um aparelho para acelerar a recuperação da lesão, com a legenda: “Tratamento no rolê, vale?”.

Transferido para o Al Hilal em agosto, Neymar, que teve sua transferência do PSG avaliada em cerca de 90 milhões de euros (R$ 484 milhões), estreou pelo novo time em setembro, após lesões musculares e compromissos com a seleção brasileira.

Com um salário estimado em 160 milhões de euros (R$ 860 milhões) por ano, Neymar disputou apenas cinco partidas pelo Al Hilal antes da lesão no Estádio Centenário, em Montevidéu. O histórico recente do jogador inclui 17 lesões mais graves desde 2014.

A ausência de Neymar pode complicar ainda mais a recuperação da seleção brasileira em 2024. A derrota para o Uruguai marcou a primeira de uma série inédita de três derrotas consecutivas em jogos classificatórios para o Mundial.

Em meio à crise institucional da CBF, com seu presidente afastado, a seleção enfrenta incertezas sobre o retorno de Neymar e a definição do treinador à beira do campo. Se Ancelotti, atualmente no Real Madrid, optar por permanecer na Europa, a CBF precisará decidir entre buscar um novo nome ou manter Fernando Diniz, que enfrenta desconfiança após o retrospecto negativo em 2023 e terá que lidar com a ausência de Neymar pelo menos até a segunda metade do ano.

Endrick já tem 6,5 milhões de seguidores no Instagram

Com apenas 17 anos, o prodigioso atacante Endrick, revelação do Palmeiras, já acumula uma lista impressionante de conquistas no mundo do futebol. Destaque no Campeonato Brasileiro de 2023, onde marcou 11 gols, muitos deles decisivos e espetaculares, a joia alviverde está prestes a dar o próximo passo em sua carreira ao ingressar no Real Madrid a partir da metade de 2024, quando atingirá a maioridade.

Além de seu sucesso nos gramados, Endrick também ostenta números extraordinários nas redes sociais, um reflexo do seu talento precoce e do impacto imediato em sua ascensão.

No Instagram, o jovem atleta já angariou uma impressionante legião de 6,5 milhões de seguidores. Notavelmente, cerca de 80% desse público começou a seguir Endrick após sua estreia pelo Palmeiras, em 6 de outubro de 2022, quando contribuiu para a vitória por 4 a 0 sobre o Coritiba no Allianz Parque. Surpreendentemente, nos últimos dois meses, 36% desse contingente, equivalentes a 2,1 milhões de seguidores, aderiram ao seu perfil, especialmente após suas atuações decisivas na reta final do Brasileirão.

Comparativamente, nenhum dos companheiros de equipe no Palmeiras se aproxima desses números. Ícones do clube, como Dudu, acumulam 2,2 milhões de seguidores, enquanto o goleiro Weverton e o peça-chave Raphael Veiga contam com 1,9 milhões e 2 milhões, respectivamente.

O momento épico de Endrick na virada histórica do Palmeiras sobre o Botafogo, com uma vitória por 4 a 3 em 1º de novembro no Rio de Janeiro, impulsionou sua popularidade no TikTok, garantindo-lhe 100 mil novos seguidores e um total de 2,4 milhões na plataforma chinesa.

Embora esteja ainda distante dos números estratosféricos de astros consagrados como Cristiano Ronaldo, Messi e Neymar, o potencial de Endrick para se tornar uma estrela tanto nos gramados quanto nas redes sociais é inegável. Vini Jr. e Rodrygo, compatriotas que já atuam no Real Madrid e participaram de uma Copa do Mundo, possuem, respectivamente, 43,6 milhões e 15 milhões de seguidores.

Além do sucesso digital, o relacionamento de Endrick com a modelo Gabriely Miranda também é um fenômeno nas redes sociais, contando com 351 mil seguidores. Publicações conjuntas, como a assistência ao jogo do Real Madrid e a celebração na premiação do Brasileirão, acumularam respectivamente 1 milhão e 1,4 milhão de curtidas, demonstrando o alcance de sua influência.

Endrick com a modelo Gabriely Miranda
Endrick com a modelo Gabriely Miranda | Crédito: Foto Instagram gabrielymiiranda

 

 

Após contusão, Neymar vai ser operado e não joga mais nesta temporada

O jogador do Paris Saint-Germain (FRA) Neymar não joga mais na atual temporada da Europa. Após sofrer uma contusão, o atacante da Seleção vai passar por cirurgia no tornozelo direito e ficará afastado do futebol por até quatro meses, segundo informou o seu clube. Como o Campeonato Francês e a Champions League terminam em maio, ele não terá tempo para jogar nesses torneios.

Segundo o departamento médico do OSG, Neymar precisa da cirurgia para recuperar o ligamento e evitar que o problema se repita no futuro. “Todos os especialistas consultados confirmaram a necessidade”, disse o PSG em nota.

A operação será feita em Doha, capital do Qatar. O PSG pertence ao fundo soberano do país, controlado pela família real.

Neymar torceu o tornozelo em 20 de fevereiro, em partida contra o Lille, pelo Campeonato Francês. A preocupação é com as repetidas contusões no mesmo local. Ele teve problema parecido na Copa do Mundo e não atuou diante da Suíça e Camarões, na fase de grupos.

Neymar machuca o tornozelo e deixa o gramado chorando

O atacante Neymar sofreu uma lesão no tornozelo direito neste domingo (19) durante o duelo entre o PSG e o Lille pelo Campeonato Francês.

O jogador, que havia marcado um gol e dado uma assistência na partida, deixou o gramado no começo do segundo tempo, chorando, enquanto era carregado de maca pelos médicos. O duelo terminou com vitória dos parisienses, por 4 a 3.

A lesão dele ocorre a menos de duas semanas do jogo de volta do PSG contra o Bayern de Munique pelas oitavas de final da Champions League. Depois de perder o jogo de ida em casa, por 1 a 0, os franceses vão encarar os alemães novamente no dia 8 de março, em Munique.

O problema que tirou Neymar do jogo deste domingo é no mesmo tornozelo que atrapalhou a trajetória dele na última Copa do Mundo, no Qatar, onde o Brasil acabou eliminado nas quartas de final.

Desta vez, a lesão ocorreu após uma jogada em que ele tentava roubar a bola de Benjamin André.

No chão, com lágrimas nos olhos, o brasileiro tentou se levantar e caminhar antes de se deitar na maca com gestos raivosos, para deixar o campo com as mãos na cabeça.

A lesão traz más lembranças ao PSG, que já ficou sem Neymar em jogos importantes da Champions.

O brasileiro lesionou-se antes do segundo duelo das oitavas de final frente ao Real Madrid em 2018, ano em que o time parisiense acabou eliminado pelos espanhóis.

Em 2019, Neymar se machucou contra o Strasbourg e perdeu as oitavas de final contra o Manchester United, quando o PSG foi novamente eliminado.

E em 2021, Neymar voltou a se lesionar, desta vez no adutor esquerdo, perdendo o reencontro com seu antigo clube, o Barcelona, também nas oitavas de final. Mas, desta vez, o PSG avançou, com um show do francês Mbappé, autor de três gols no jogo de ida, no Camp Nou, onde os visitantes venceram por 4 a 1. Na França, houve um empate, 1 a 1.

Neymar é absolvido de acusações de fraude na Espanha – 13/12/2022 – Esporte

A justiça espanhola absolveu Neymar, 30, e o restante dos processados por supostas irregularidades cometidas em sua transferência ao Barcelona, em 2013.

A decisão está alinhada com o critério do fisco espanhol, que já havia retirado suas acusações na reta final do julgamento realizado em outubro.

“A Audiência absolve Neymar e o resto dos processados por corrupção privada”, indicou o tribunal da Audiência de Barcelona, em um comunicado sobre a sentença publicada nesta terça-feira (13), que inocenta todos os indiciados pela empresa brasileira DIS, de Delcir e Idi Sonda.

O julgamento, iniciado um mês antes do início da Copa do Mundo, é uma boa notícia para Neymar, poucos dias depois da dolorosa eliminação da seleção brasileira contra a Croácia, nas quartas de final da Copa do Qatar.

A expectativa já era de alívio para o jogador desde que o Ministério Público —que inicialmente pediu a ele dois anos de prisão e multa de 10 milhões de euros (56 milhões de reais)— surpreendeu no penúltimo dia de audiências, retirando todas as acusações contra os réus.

Opinião que os magistrados também compartilharam, segundo o acórdão.

“Das provas realizadas, não há indícios de que o jogador tenha recebido suborno e/ou que o tenha exigido para assinar pelo Fútbol Club Barcelona. A promotoria faz deduções que não passam de mera suspeita. Não são indícios de criminalidade”, afirmam.

Além de Neymar e seus pais, também foram exonerados dois ex-presidentes do Barça —Sandro Rosell e Josep María Bartomeu— e o ex-presidente do Santos, Odílio Rodrigues Filho, assim como o próprio FC Barcelona, o Santos e a empresa que administra a carreira de Neymar neste longo processo iniciado há sete anos pela DIS.

A empresa brasileira, detentora de 40% dos direitos federativos de Neymar quando ainda era uma promessa do Santos, havia recorrido à Justiça espanhola em 2015 acusando o Barça, o jogador e sua família —e posteriormente também o clube paulista— de terem enganado a esconder o valor real da transferência milionária.

O DIS também os repreendeu por não tê-lo informado sobre um suposto contrato de exclusividade assinado em 2011 com o Barça, e que teria adulterado a livre concorrência para assumir o promissor atacante.

Mas o Ministério Público, que inicialmente partilhou parte das acusações do DIS, acabou por considerar que as denúncias não se baseavam em provas “nem mesmo circunstanciais”, mas em “suposições”, e que era mais do que um caso civil do que criminal.

Com sua reviravolta inesperada, o procurador de Barcelona contrariou a visão de seus colegas de Madri, onde havia começado a jornada deste complexo caso, que acabou sendo encaminhado ao Tribunal de Barcelona.

Apesar de a mudança no Ministério Público não ter determinado a decisão final, desferiu um duro golpe na acusação, que ficou apenas nas mãos do DIS, graças ao fato de o ordenamento jurídico espanhol permitir à suposta vítima de um crime figurar como o acusador em um processo.

Por fim, o fundo brasileiro acabou derrubando também seu pedido para dois anos e seis meses de prisão a Neymar, dos cinco que pedia inicialmente.

O julgamento trouxe o atacante de volta ao Barcelona, de onde saiu abruptamente em 2017 para o Paris Saint-Germain.

No seu breve depoimento perante o tribunal, um sereno “Ney” assegurou que apenas assinou os documentos que lhe foram indicados pelo pai, em quem confia plenamente.

O atacante disse não ter participado de nenhuma negociação, mas que sua vontade sempre foi clara: realizar seu sonho e assinar pelo Barça, descartando ofertas como a do Real Madrid.

Essa operação acabaria se tornando, porém, uma saga jurídica mista que já dura quase uma década.

Apesar de o Barça ter estimado inicialmente a sua contratação em 57,1 milhões de euros (40 milhões para a família e 17,1 para o Santos), a justiça espanhola estimou que atingiu pelo menos 83 milhões.

Para o DIS, que recebeu 6,8 milhões do valor oficial pago pelo clube brasileiro, a equipa catalã, Neymar e posteriormente o Santos esconderam-lhes através de vários contratos camuflados cerca de 35 milhões de euros que agora reclamavam em tribunal.

A polêmica operação já rendeu ao Barça uma multa de 5,5 milhões de euros por irregularidades fiscais, além de várias demandas cruzadas com Neymar após sua marcha de destaque para o PSG.

Por fim, a entidade e o 10 da seleção chegaram a um acordo “de forma amigável” no ano passado para encerrar todos os processos pendentes.

link

Copa do Mundo: leitores apontam erros do Brasil na queda – 12/12/2022 – Painel do Leitor

Para leitores da Folha, erros de Tite na preparação da seleção brasileira e na escalação do time para a disputa contra Croácia pelas quartas de final explicam a derrota do Brasil no Copa do Mundo.

Na última sexta-feira (9), o Brasil foi eliminado pela Croácia nos pênaltis, depois de 0 a 0 no tempo regulamentar e 1 a 1 na prorrogação, encerrando o sonho brasileiro do hexacampeonato.

O técnico Tite abandonou o campo logo após a derrota e anunciou que deixaria o comando da seleção.



O técnico fez escolhas equivocadas e, derrotado, abandonou seus jogadores em campo. Duplamente culpado.

“Um técnico tem a missão, escalar, configurar e dar instruções ao seu time. Sou professora e assim conheço meus alunos e minhas alunas. Logo, se participo de um campeonato ou competição, coloco a fina prata: tem o que é bom na oralidade, outro que é bom na escrita, o que é rápido para dar respostas. Juntos formam uma equipe coesa, prontos e prontas para vencer; caso não ocorra, será porque o outro lado tem um time mais forte”, avaliou Vera Lúcia Campos Leite, 55, de Cuiabá (MT).

“No caso do Brasil, o técnico fez escolhas equivocadas (até para o pênalti) e, derrotado, abandonou seus jogadores em campo. Duplamente culpado.”



Desde 2018 eu venho dizendo que só voltaremos a vencer uma Copa quando tivermos um técnico europeu de primeira linha.

O empresário Jayme Eduardo Rincon, 64, de São Paulo (SP), atribuiu a derrota exclusivamente ao treinador. “Tite não se atualizou, continuou refém de seu atraso e se colocou mais como psicólogo do que técnico. Convocou mal, escalou mal e substituiu mal. Desde 2018 eu venho dizendo que só voltaremos a vencer uma Copa quando tivermos um técnico europeu de primeira linha.”

“A seleção brasileira entrou com estilo de jogo muito lento, perdendo o meio-campo e tendo dificuldade contra o chato time croata. Tite demorou para fazer as alterações. O Brasil enfim melhorou no segundo tempo, criou chances e merecia a vitória na prorrogação; aí veio uma desatenção geral e o erro fatal do contra-ataque que empatou a partida. Inadmissível. Rodrygo também não deveria ter a pressão de iniciar a cobrança de pênaltis”, analisou o jornalista Celso Luís Gallo, 30, de Araraquara (SP).

“Em mata-mata de Copa do Mundo, detalhes fazem a diferença. Infelizmente foi a favor dos croatas. Foi uma derrota doída de um time promissor.”



Falta equipe, conjunto, hábito de jogar junto. Enquanto for um ‘ajuntamento’ de grandes estrelas, vai continuar assim.

“Falta equipe, conjunto, hábito de jogar junto. Enquanto for um ‘ajuntamento’ de grandes estrelas, vai continuar assim. Não é a toa que temos vistos talentos individuais brilhando e não um conjunto de encher os olhos”, afirmou a assistente social Mara Jacota Cohen, 63, de São Paulo (SP).

Para o sociólogo Ricardo dos Santos Batista, 33, de São Paulo (SP), houve “dificuldade criativa e supervalorização da imagem individual dos jogadores”.

Leia a seguir outras manifestações dos leitores.

“A Croácia era melhor. Aliás, penso que um país com 3,9 milhões de habitantes deve ter um sistema de educação (e educação física) muito bom, para conseguir identificar e preparar estes talentos. Só confirma o desperdício de talentos que temos no Brasil em todas as áreas, não só no esporte. Parabéns, Croácia, merecido!”

Daniela Franco, 53, professora de educação física (São Paulo, SP)

“A falta de humildade, dancinhas de poderosos, confiar demais no patrimônio pessoal e esperar ser o melhor. Nada haver com responsabilidade e trabalho…”

Hermenson Azevedo Sá, 64, chaveiro (Belo Horizonte, MG)

“Atribuo à síndrome da Neymardependencia.”

Joel Rosa da Rocha , 55, advogado (Itapevi, SP)

“Falta de preparo psicológico. Desde 2014 o que atrapalha a seleção brasileira não é a técnica, é o emocional: insegurança, nervosismo, o peso da camisa, ego, senso de coletivo, expectativas irrealistas… Falta um bom trabalho de um(a) profissional da psicologia. Se essas questões forem tratadas com seriedade, com profissionalismo, como fazem grandes times, a próxima Copa é nossa!”

Pâmela Lunardelli, 35, psicóloga (Florianópolis, SC)

“Vaidade. Após o gol do Neymar, o clima foi de vitória, final de jogo. Comemoraram antes da hora. E a escolha do Tite para quem bateria o primeiro pênalti.”

Nilcilea Peixoto, 68, secretária-executiva (Juiz de Fora, MG)

“Quando marcamos 1 a 0 na primeira etapa da prorrogação, era preciso manter a posse de bola. Estávamos melhores fisicamente, com jogadores mais jovens, mas faltou maturidade. O Brasil não teve o espírito e nem teve, para si, a responsabilidade de levar o time à taça.”

José Roberto Paulino, 72, designer (São Luiz do Paraitinga, SP)

“Hoje os jogadores brasileiros não jogam por prazer e sim pelo dinheiro e estrelato. Deixem de pagar milhões pelos egos e recrutem quem talento e amor pelo esporte. Que uma parte do salário vá para causas sociais, para a educação dos jovens no esporte.”

Eliana Machado, professora (São Paulo, SP)

“Não jogam pelo Brasil, falta de paixão e amor à camisa que vestem ao jogar. Não adquiriram maturidade para enfrentar jogos decisivos como um time coeso e comprometido com a vitória.”

Terezinha Ribeiro Alvim, 67, professora (Belo Horizonte, MG)

“Faltou encarar o adversário com o necessário respeito. Faltou consciência, em todo o torneio, de que a derrota era uma possibilidade. Sobrou salto alto ao time da CBF na Copa do Qatar. Faltou um profissional no comando. Está na hora de buscar outro tipo de treinador.”

Lucas Christianu Vaz Costa, 39, servidor público (Recife, PE)

“O time não tinha alma. Faltou fome de bola.”

Ciro Gusmão Jr, 64, aposentado (Brasília, DF)

“O agouro do gato que foi retirado pelo assessor da CBF.”

João Silva, 34, professor (Sorocaba, SP)

“Faltou garra, disposição e, principalmente, futebol, mas sobraram dólares e disposição para carne com ouro. Mercenários acima de tudo.”

José Geraldo Silva, 62, engenheiro elétrico (São José Campos, SP)

“Um bando de moleques mais preocupados com danças, coreografias, batuques, cabelos descoloridos, sobrancelhas raspadas… Ou seja, preocupados com criar modinhas e não com jogar futebol seriamente. Não se vê isso em nenhuma das outras seleções.”

Luciana Mendes, 43, advogada (Ribeirão Preto, SP)

“Falta de um verdadeiro líder dentro de campo.”

Paulo Vasconcelos, 38, preparador físico (São Paulo, SP)

link

Em carta a Tite, Daniel Alves diz que não mudaria nada – 10/12/2022 – Esporte

O lateral direito Daniel Alves se manifestou na sexta-feira (9) e neste sábado (10) nas redes sociais, após a eliminação da seleção brasileira na Copa do Mundo do Qatar –derrota para a Croácia nos pênaltis. Primeiro, o jogador publicou uma carta de agradecimento ao técnico Tite, que deixou o comando da equipe após a queda no Mundial. Depois, fez o mesmo para o atacante Neymar.

O jogador diz que não mudaria nada na “última viagem” que fizeram, que é a ida para a Copa do Mundo, e deseja sorte ao treinador. “Que o senhor possa ter a paz que eu também levarei comigo, a paz do dever cumprido e da missão executada”, diz trecho da carta.

Para Neymar, Daniel Alves colocou uma foto junto com a mensagem e escreveu que Neymar “tem uma missão aqui na Terra”.

“A dor, assim com a felicidade, são passageiras, mas a nossa missão é não permitir que a dor seja mais do que a felicidade”, diz o trecho da carta.

Aos 39 anos, Daniel Alves disputou contra a Coreia do Sul, nas oitavas de final, a sua última partida pela seleção brasileira e se tornou o jogador mais velho a atuar pelo Brasil em Copas do Mundo.

Leia a mensagem de Daniel Alves para Tite:

Querido Adenor, escrevo-lhe essa mensagem aqui para agradecer-lhe tudo que fizeste por esse querido grupo todos esses anos.

Esse abraço é o significado mais puro do que o sr representa para mim é para esse grupo de seres humanos especiais.

Especiais por suas particularidades, por seus caráter, por sua humildade e sobretudo pelas histórias de superação e pelas grandes almas que existem por trás da telinha.

Existem medalhas que não se coloca no peito e sim na alma e essa é uma.

Obrigado por nos ensinar a como ser homens, país, filhos, amigos, irmãos e seres humanos… pode ser que isso, nos tempos do hoje, não tenha valor nenhum, ou pode ser que ainda existam seres que ainda acreditem o quão isso é valioso e importante.

Essa é a nossa última viagem aqui e posso te falar; não mudaria nada.

Desejo-lhe tudo de maravilhoso e mais puro nessa vida e na outra.

Que o sr possa ter a paz que eu também levarei comigo: a paz do dever cumprido e da missão executada.

O resultado de um jogo nunca mudará o placar das nossas vidas.

Todo esse tempo dedicado de corpo e alma traz a paz que faz-nos seguir nossos caminhos de lutas e glórias.

E sim, essa é uma carta aberta não somente para que o sr possa ler, mas para que todos saibam que os seus valores não estão nem nunca serão medidos em debates.

Com muito carinho e respeito, obrigado por todos esses anos juntos em prol de representar o melhor país do mundo.

Leia a carta escrita pelo lateral para o atacante Neymar.

Coloco essa imagem primeiro porque é assim que sempre quero lembrar de você e quero que também todos lembrem assim de você.

Você é exemplo de brasileiro que saiu do nada e conquistou mais do que sonhou.

Chorar é parte do processo, mas sorrir é o que faz com que lembremos que todo o sacrifício que fizemos valeu a pena.

Muitas vezes o troféu faz muitas pessoas se equivocarem, achando que são melhores do que as outras porque ganharam… mas não, não sabem que isso é apenas uma distração que alimenta continuamente os seus egos.

Ganhar para mim que sou considerado o maior vencedor da história desse esporte significa inspirar pessoas, assim como você, @neymarjr, faz.

Os maiores troféus das nossas vidas sempre serão as pessoas que consiguimos impactar nessa sociedade através do nosso exemplo.

É para isso que DEUS nos deu o nosso dom.

Você não tem apenas um compromisso com o futebol, você tem um compromisso com a sua missão aqui na terra…. Execute-a com sabedoria.

A dor, assim com a felicidade, é passageira, mas a nossa missão é não permitir que a dor seja mais do que a felicidade… mesmo que momentaneamente, mas a vida é feita de momentos.

Deixa que doa, deixa que passe e volte pra sua missão!!

Amo o seu coração meu irmão.

A rede social é para poder mostrar o que queremos que saibam de nós, sem mentiras nem achismos.

link

Neymar é camisa 10 que nunca brilhou em Copas – 10/12/2022 – Esporte

Minutos após a abertura da Copa de 2014, o pai de Neymar, de mesmo nome, recebeu mensagem em grupo de WhatsApp de funcionários da sua empresa. Um deles elogiava a atuação do atacante e bajulava:

“Se a Copa do Mundo no Brasil é um sucesso, isso se deve, em grande parte, ao seu filho.”

Neymar havia acabado de fazer seu primeiro jogo em Mundiais. O Brasil vencera a Croácia por 3 a 1, com dois gols dele. Atuando em casa, a seleção era favorita ao título na mesma proporção em que o camisa 10 era candidato a craque da competição.

“Estou destruído psicologicamente. Essa, com certeza, foi a derrota que mais doeu, que me fez ficar paralisado durante 10 minutos e logo após caí no choro sem parar”, escreveu o brasileiro neste sábado (10), em sua conta no Instagram.

Um dia antes o Brasil havia sido eliminado pela mesma Croácia nas quartas de final da Copa do Qatar, nos pênaltis. Por ficar responsável pela quinta cobrança, ele nem sequer participou da disputa. No empate em 1 a 1, anotou o gol da equipe verde e amarela na prorrogação.

“Obrigado a todos pelo apoio com a nossa seleção. Infelizmente não deu… Vai doer por muito tempo, muito tempo”, completou.

Neymar chegou ao Qatar depois de dizer que este seria seu último Mundial embora, aos 30 anos, tenha idade para participar da competição a ser sediada por Estados Unidos, Canadá e México em 2026. Mas craques da seleção do passado não conseguiram estar em uma Copa aos 34.

Pelé disputou sua última em 1970, quando estava a três meses de completar 30 anos. Garrincha foi à Inglaterra, em 1966, com 33. É a mesma idade de Didi no Chile, em 1962, e de Zico em 1986. Na Argentina, em 1978, Rivellino estava com 32 anos. Ronaldo havia chegado aos 30 na Alemanha, em 2006, enquanto Ronaldinho Gaúcho tinha apenas 26.

Romário poderia ter sido campeão em 2002, com 36, mas não foi chamado, de forma controversa, por Luiz Felipe Scolari.

Dirigentes da CBF não têm ideia do que Neymar espera de seu futuro com a seleção. Após a eliminação diante da Croácia, ele disse não saber se volta. A declaração foi vista como normal pelo calor do momento, logo após a queda que o afetou muito.

Até agora, o saldo de Neymar em Copas não era o que poderia ser. Ou o que a mensagem bajulatória que o seu pai recebeu logo depois da estreia em 2014 sugeria.

No torneio no Brasil, ele teve uma boa fase de grupos, mas sua ascensão foi interrompida por contusão nas quartas de final, diante da Colômbia. Isso o poupou de tomar parte na goleada por 7 a 1 aplicada pela Alemanha na semifinal.


Neymar na Copa

  • Jogos: 3
  • Tempo jogado: 281 minutos
  • Finalizações totais: 10
  • Finalizações no gol: 7
  • Gols: 2
  • Faltas sofridas: 16
  • Faltas cometidas: 4
  • Passes longos: 3 (66,7% de acerto)
  • Passes curtos: 139 (81,3% de acerto)

Na Rússia, quatro anos mais tarde, teve Mundial tão discreto que ficou lembrado pelas simulações de faltas e os memes na internet. Sofreu lesão no tornozelo direito na estreia deste ano, diante da Sérvia. Voltou nas oitavas de final contra a Coreia do Sul e fez um belo gol diante contra a Croácia, apesar da eliminação.

Ele tem oito gols marcados na história do torneio, em 13 partidas. Foram quatro em 2014, dois em 2018 e outros dois no Qatar, em 2022. Ao lado de Rivaldo, é o 6º maior artilheiro da seleção em Copas. Fica atrás de Ronaldo (15), Pelé (12), Ademir de Menezes, Vavá e Jairzinho (todos com nove).

Os números não mostram o principal. Neymar não tem nenhum instante memorável nos três Mundiais que participou. Teve jogadas esporádicas, não atuações de brilho. Se ele é o maior candidato brasileiro a ser eleito melhor do mundo e o principal jogador do país, deve ser medido com a mesma régua de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.

O português se despediu da competição neste sábado (10) sem ter o título mais importante do futebol. O argentino, também em seu adeus, está na semifinal.

A avaliação da comissão técnica da seleção, antes mesmo do embarque para o Qatar, era que Neymar tem plenas condições técnicas de jogar mais um Mundial. A questão a ser respondida é se terá condição física que o manterá no auge até lá. Além da vontade pessoal, claro.

“Não sei se voltarei a jogar no Brasil. Gostaria de jogar nos Estados Unidos, realmente. Gostaria de jogar lá por pelo menos uma temporada”, disse no início deste ano.

Apesar dos questionamentos e não ter tido uma grande Copa do Mundo no Qatar, ele sai do torneio ainda como a maior referência técnica e líder do elenco.

“Ele é o ídolo de todo mundo, nosso melhor jogador”, comentou Vinicius Junior.

link

Brasil: novo técnico deve ser anunciado em janeiro – 10/12/2022 – Esporte

O novo técnico da seleção brasileira será anunciado em janeiro e a decisão caberá apenas ao presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

O dirigente embarcou para o Brasil no voo que levou a comissão técnica e alguns atletas (não foram divulgados quantos). Ele se recusou a permanecer no Qatar após a eliminação da equipe da Copa do Mundo para a Croácia, nos pênaltis, nas quartas de final, nesta sexta-feira (9).

Rodrigues recusou sugestões de que poderia ouvir especialistas ou montar um conselho de ex-presidentes para decidir quem será o substituto de Tite. Já estava definido há meses que o técnico não continuaria no cargo após o Mundial.

O cartola argumenta que outros mandatários da confederação escolheram sozinhos os treinadores da seleção e ele fará o mesmo.

Embora não seja apaixonado pela ideia, Rodrigues pode chegar à conclusão de que o melhor é contratar um estrangeiro para comandar o time. A constatação é que não há um brasileiro incontestável para ocupar o espaço.

Pesquisa Datafolha feita em julho deste ano apontou que 55% da população rejeita essa solução estrangeira. Foram ouvidas 2.556 pessoas de 16 anos ou mais em 183 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Depois da queda nas quartas de final, a seleção só deve voltar a entrar em campo em março de 2023. O adversário ainda será definido.

Ednaldo Rodrigues voltou no mesmo voo da comissão técnica porque considerou que este era seu último ato com Tite e não queria passar a impressão de que abandonou o barco logo após a derrota.

O representante da CBF nas reuniões que a Fifa ainda vai realizar no Qatar será o vice-presidente Fernando Sarney.

link

Tite repete erros, e seleção sem foco é eliminada de novo – 09/12/2022 – Walter Casagrande Jr.

Este texto sobre a seleção brasileira será mais crítico.

Duas Copas seguidas com Tite no comando e as duas com rendimento de mediano para fraco.

Assim como em 2018, não tivemos um jogo, e sim jogadores em campo. Novamente, quando batemos de frente com uma seleção europeia de médio ou grande porte, “dançamos”.

Só demonstramos força e imposição contra a fraca Coreia do Sul, e os ufanistas, juntos com os fãs de Neymar, já transformaram a seleção num “fenômeno”.

Teve jogador que se preocupou em ensaiar dez dancinhas, mas não fez um gol e foi mal na Copa.

Tiveram jogadores que, na folga, foram a convite de Ronaldo comer a famosa carne folhada a ouro.

Tiveram também ex-jogadores se juntando para me atacar, junto com curtidas do camisa 10, em meio à Copa do Mundo.

Onde estava o foco dessa moçada?

Riram da minha cara enquanto eu estou fazendo só o meu trabalho numa Copa, que é o de dar opinião.

Tiveram contusões que prejudicaram o trabalho, é verdade. Mas não tinham 26 jogadores convocados?

Não era um elenco muito qualificado?

Tite se deu ao luxo de trazer para cá Daniel Alves, com 39 anos, para bater o recorde do jogador mais velho a vestir a camisa da seleção e a faixa de capitão numa Copa. Além, claro, de tocar pandeiro e imitar o chef de cozinha jogando ouro na carne. Ele foi de uma inutilidade incrível para a seleção brasileira.

Em contrapartida, Pepe foi o jogador mais velho a fazer um gol em Copa por Portugal, também com 39 anos. Quanta diferença!

Pintaram o cabelo, mas a bola faltou.

Tanto os pentacampeões quanto os veteranos desta seleção (Daniel Alves, Thiago Silva e Neymar) não têm a mínima identificação com o povo brasileiro. São de uma outra classe social.

Enquanto no Brasil as 35 milhões de pessoas que passam fome se viraram para torcer pela seleção, eles faziam careta para a câmera depois de marcarem gols.

Careta para o povo brasileiro, porque eram eles que estavam assistindo à Copa pela TV.

Esses caras não foram capazes de jogar pelo povo brasileiro. Só por eles.

Enquanto o verdadeiro torcedor sofria e passava fome, o camisa 10 ofereceu um gol e uma comemoração a um fascista.

O gol ele fez, e talvez tenha ficado pela primeira vez na vida com vergonha, porque não comemorou como queria.

Fico triste e, ao mesmo tempo, aliviado porque vejo uma molecada boa de bola. Se o próximo treinador for um pouco inteligente, afastará Neymar dessa nova geração para não estragá-la.

O ano de 2023 vai começar com um governo verdadeiramente democrático e talvez com um novo treinador de seleção brasileira. Espero que tudo, mas tudo mesmo, comece a mudar.

Faremos um novo time, teremos novos ídolos, mas com certeza esses caras do penta estarão novamente em 2026 no mesmo camarote da Fifa, ganhando para ficar ali fazendo papel de papagaio de piratas de dirigentes.

Esta Copa desmascarou muita gente —não preciso citar nomes porque todos acompanharam os últimos dias.

Quero terminar com um trecho de uma música linda do meu saudoso amigo Gonzaguinha:

“Eu acredito na rapaziada

Que segue em frente e segura o rojão

Eu ponho fé é no fé da moçada

Que não foge da fera e enfrenta o leão”.

E vamos à luta.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

link