Tag: União Europeia

Copa: Vamos dar o passo final agora, diz técnico Deschamps – 14/12/2022 – Esporte

A França agora deve dar o último passo para conquistar seu segundo título mundial consecutivo depois de eliminar o Marrocos por 2 a 0 na semifinal da Copa do Mundo nesta quarta-feira (14), disse o técnico da França, Didier Deschamps.

Os atuais campeões abriram o placar aos cinco minutos, com o zagueiro Theo Hernandez, antes de Randal Kolo Muani marcar outro aos 32 min do segundo tempo, selando sua quarta presença em uma final nas últimas sete edições.

“Estamos juntos com os jogadores há um mês, nunca é fácil. Há felicidade até agora.”

“Eu me sinto muito orgulhoso por conseguir essa classificação, era a última etapa que faltava para chegar à final. Mas não foi simples. Misturamos qualidade, esperança e experiência para chegar à vitória. É o sintoma de uma equipe e é o que faz a diferença”, disse Deschamps, que levou a França ao título mundial de 2018.

Perguntado sobre a utilização de Kolo Muani, autor do segundo gol da partida, Deschamps falou sobre a importância de todo o elenco. “Penso sobretudo na união, no coletivo desse grupo. Os jogadores que não foram utilizados podem ser decisivos. O banco de reservas é muito importante para a equipe”, comentou o treinador.

Deschamps é apenas o quarto técnico a levar um país a duas finais consecutivas da Copa do Mundo, e a França tentará se tornar o primeiro time desde o Brasil em 1962 a reter o título.

A França também acertou a trave com Olivier Giroud, mas teve de aguentar mais de uma hora de intensa pressão marroquina antes de selar a vitória.

O presidente da França, Emmanuel Macron, que estava nas arquibancadas do estádio Al Bayt para assistir à vitória, foi rápido em elogiar o time.

“Nossos compatriotas precisam de alegria simples e pura, o esporte a proporciona e o futebol em particular. Estou muito melhor agora do que há uma hora e meia”, disse Macron.

“Sofremos muito, mas vimos uma grande equipe. Agradeço imensamente a Didier Deschamps e a esta equipe, uma mistura de gerações diferentes.”

“Deschamps está aqui, com sua sorte e seu talento. Trazemos de volta a Copa e, claro, Deschamps tem que ficar. Esta seleção francesa me deixa muito orgulhoso.”

O treinador não quis afirmar se continuará no comando da equipe e só agradeceu a visita do presidente. “Ao presidente digo muito obrigado por ter passado no vestiário pra cumprimentar os jogadores”, limitou-se a dizer.

link

Policiais e torcedores entram em confronto em Paris – 10/12/2022 – Esporte

Policiais e torcedores que comemoravam as vitórias da França e do Marrocos, neste sábado (10), entraram em confronto na avenida Champs-Élysées, em Paris. As forças de segurança usaram gás lacrimogêneo.

Milhares tomaram a via logo após a partida entre os africanos e os portugueses, que terminou com vitória por 1 a 0 do Marrocos. Elas cantavam, agitavam bandeiras e sopravam cornetas, sob a vigilância da polícia.

Após a vitória da França sobre a Inglaterra, por 2 a 1, mais torcedores tomaram a avenida.

Registros da TV Reuters mostram pessoas atacando lojas e em confronto com a polícia. Fogo também foi visto na avenida de Friedland, próxima à Champs-Élysées.

Presente na Copa do Mundo desde a edição de 1934 –quando o Egito perdeu sua única partida, 4 a 2, para a Hungria, na Itália–, a África nunca havia colocado um representante entre os quatro primeiros colocados.

Marrocos avançou às semifinais com apenas um gol sofrido em cinco partidas na Copa, mostrando força para a campanha mais longa de um país de seu continente.

No outro jogo, Oliver Giroud fez o gol da classificação da França sobre a Inglaterra e colocou a atual campeã mundial mais uma vez nas semifinais.

link

Sabia que teria mais uma chance, diz Giroud – 10/12/2022 – Esporte

Autor do gol que classificou a França, Giroud afirmou após o jogo deste sábado (10) que tinha certeza de que apareceria uma chance para marcar contra a Inglaterra.

“Na vida, é preciso sempre ter fé. Eu sabia que teria uma chance a mais, e Griezmann me deu um bola ótima”, afirmou ele, que marcou o segundo gol francês de cabeça.

Sobre o jogo, o camisa 9 afirmou ainda que a seleção impôs “um jogo sólido” e que tentou “jogar muito bem no contra-ataque”.

Foi seu quarto na Copa do Mundo do Qatar. Ele é o vice-artilheiro da competição. Está atrás apenas do seu companheiro Kylian Mbappé (cinco).

Giroud finalizou dizendo que espera chegar o mais longe possível na Copa. O adversário da semi é Marrocos, na quarta (14), às 16h.

Para o técnico Didier Deschamps, que também falou após a vitória, “por sorte, eles [ingleses] perderam o segundo pênalti”.

“O time inglês estava muito bem organizado, é um time muito capaz”, disse, acrescentando que “fizeram das tripas coração para chegar à semi”.

“Dá vontade de pausar o tempo, porque uma semi é uma coisa muito séria.”

Sobre Marrocos, Deschamps afirmou que a seleção africana merece reconhecimento. “Claro que não faziam parte dos times que a gente esperava. É uma bela surpresa.”

link

‘Vão dar o título para a Argentina’, Pepe – 10/12/2022 – Esporte

Após a derrota por 1 a 0 para Marrocos, o zagueiro luso-português Pepe criticou a arbitragem e disse que há um suposto favorecimento à Argentina na Copa do Mundo.

“De 8 ou 9 árbitros que tivemos aqui hoje no jogo, 5 são argentinos. Posso estar muito errado, mas tenho muita experiência disso. Posso dizer que eles vão dar o título para a Argentina.”

“Na primeira parte, foram uma vez e fizeram um gol. Todas as jogadas que nós queríamos, eles paravam a jogada e o árbitro não molestava os jogadores do Marrocos. Segunda parte foi mais do mesmo. Vieram para perder tempo. Muitas faltinhas, o árbitro não dá amarelo.”

“Tenho que dizer isso. É inadmissível um árbitro argentino apitar nosso jogo, depois do que Messi falou ontem [sexta]”, acrescentou.

Após a vitória da Argentina sobre a Holanda, o camisa 10 alviceleste pediu à Fifa que reveja a escalação do árbitro da partida, o espanhol Antonio Mateu Lahoz, para a continuação da Copa. “Muita raiva, porque, como eu disse, não era para acabar assim [o jogo]. A Fifa tem que rever isso, não pode colocar um árbitro assim para um jogo assim.”

Sobre a partida, o zagueiro afirmou que Portugal esteve “sempre por cima” e que sofreu um gol inesperado. “Estamos tristes. Tínhamos qualidade para ganhar o campeonato do mundo.”

O meia Bruno Fernandes seguiu na mesma toada sobre a arbitragem. “Queriam que Portugal saísse neste momento, queriam. É muito estranho nós estarmos a ter um árbitro que ainda tem a sua seleção em competição [Argentina] e não termos árbitros portugueses na competição.”

“É minimamente estranho, porque temos árbitros que apitam Liga dos Campeões. Se têm qualidade e nível para estar na Liga dos Campeões, também têm qualidade e nível para estar aqui”, acrescentou.

“E estes árbitros [da partida] não apitam Liga dos Campeões, não estão habituados a este tipo de jogo. E claramente inclinando o campo, até porque na primeira parte existe um pênalti claro em cima de mim, sem dúvida alguma.”

Já o técnico português, Fernando Santos, fez apenas comentários sobre a partida em si. Ele disse que os jogadores trabalharam muito, mas que não conseguiram explorar “tudo aquilo que a gente queria fazer”.

link

Alemanha mantém técnico Hansi Flick após eliminação – 07/12/2022 – Esporte

A DFB (Federação Alemã de Futebol) anunciou nesta quarta-feira (7) que o técnico Hansi Flick vai continuar no comando da seleção. A imprensa local especulava que o treinador poderia ser demitido após a eliminação na fase de grupos da Copa do Mundo do Qatar.

A decisão de manter o treinador ocorreu após uma reunião entre Flick e a DFB. Segundo os dirigentes alemães, a meta a partir de agora é o título da Eurocopa de 2024, que será disputada na própria Alemanha.

“Estamos todos convencidos de que a Eurocopa de 2024 em nosso próprio país representa uma grande oportunidade para o futebol na Alemanha. Nosso objetivo é fazer deste torneio um sucesso esportivo. Temos total confiança em Hansi Flick e acreditamos que ele dominará este desafio junto com sua equipe”, disse Bernd Neuendorf, presidente da DFB, em comunicado da entidade.

Hansi Flick, 57, assumiu o comando da seleção alemã em agosto de 2021, na vaga de Joachim Löw, após deixar o Bayern de Munique. Ele também se pronunciou na mesma nota da DFB.

“Minha comissão técnica e eu estamos otimistas sobre a Eurocopa em nosso próprio país. Como equipe, podemos conseguir muito mais do que mostramos no Qatar. Perdemos uma grande oportunidade lá. Vamos aprender nossas lições com isso. Tenho fé no caminho conjunto acordado hoje com Bernd Neuendorf e Aki Watzke [dirigentes da DFB]. Todos nós queremos que toda a Alemanha se reúna atrás da seleção nacional novamente.”

Logo após o fiasco na Copa do Mundo, especulava-se uma grande reforma na seleção, e os rumores cresceram com a demissão de Oliver Bierhoff, que ocupava havia 18 anos o posto de diretor esportivo. Para a vaga dele, a DFB ainda não definiu um nome.

link

Pepe supera Milla como mais velho a marcar em mata-matas – 06/12/2022 – Esporte

Nascido em Maceió (AL), o zagueiro Pepe foi jogar em Portugal aos 17 anos. Aos 24, em 2007, naturalizou-se português e naquele mesmo ano foi convocado pela primeira vez para a seleção portuguesa pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Começava ali sua trajetória vencedora na sua nova nação.

Quinze anos depois, ele disputa sua quarta edição de Copa do Mundo, no Qatar, momento em que entra para a história do futebol ao se tornar o jogador mais velho a fazer gol em duelos de mata-mata da competição. Aos 39 anos e 283 dias, ele superou o camaronês Roger Milla, que tinha 38 anos e 34 dias quando fez os dois gols na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, na prorrogação, para se classificar às quartas de final da Copa da Itália-1990.

“Sou um privilegiado por poder jogar futebol, me sinto feliz de acordar e fazer o que mais gosto todos os dias. Essa marca só vai ter grande significado para mim se a gente chegar à final e ganhar o título”, comentou o zagueiro após a goleada por 6 a 1 sobre a Suíça, que garantiu a vaga nas quartas de final. Ele marcou o segundo gol, de cabeça.

Roger Milla, no entanto, mantém o recorde de jogador mais velho a fazer gols em Copas, pelo tento anotado na derrota por 6 a 1 para a Rússia no último jogo da fase de grupos da Copa dos EUA-1994, quando tinha 42 anos e 39 dias.

Outro feito de Pepe foi superar Cristiano Ronaldo como jogador português mais velho a marcar em Mundiais. CR7 havia feito um dos gols na vitória por 3 a 2 sobre Gana na estreia no Qatar, aos 37 anos e 295 dias.

Na saída do gramado do estádio Lusail, nesta terça, Pepe destacou a atuação do time para que o resultado se tornasse fácil.

“Temos de dar mérito ao trabalho coletivo, fizemos um trabalho exemplar. Todos sabiam da importância do jogo, estamos todos de parabéns. É um privilégio fazer parte deste grupo”, comentou, não querendo cantar vitória antes da hora. “Não digo que somos mais candidatos [ao título] agora. Temos mais três finais, um jogo já difícil contra Marrocos. Temos de estar à altura desse jogo, que vai exigir muito de nós.”

O zagueiro, que foi o capitão do time até a entrada de Cristiano Ronaldo, no segundo tempo, também elogiou o atacante Gonçalo Ramos, substituto justamente de CR7 no duelo.

“Foi uma demonstração muito importante. Teve a felicidade de fazer uma exibição de sonho. Estou muito feliz por ele, é um garoto que trabalha muito. Mesmo não jogando o último jogo, trabalhou sempre com o espírito de poder ajudar a seleção. Quando é assim, tudo se torna mais fácil.”

Jogadores destacam identidade portuguesa

O atacante João Félix diz ter gostado especialmente da sua parceria em campo com Gonçalo Ramos. Mas, ao ser perguntado se a dupla permaneceria contra o Marrocos, ele desconversou.

“Foi uma boa exibição. Estou contente. Cabe ao técnico decidir, mas me dou muito bem com ele [Gonçalo Ramos], com quem gosto muito de jogar. Ele tem características que me ajudam no meu jogo”, comentou Félix, exaltando a forma como sua seleção atuou, sem perder a identidade de jogo.

“A preparação foi igual aos outros jogos. Vimos o que tinham de melhor e pior e jogamos em função disso, não perdendo a nossa identidade. Fizemos um grande jogo, talvez o melhor até agora”, disse, mostrando confiança no futuro da equipe na Copa.

“Estamos focados e acreditamos completamente em nós. Espero que tenha ficado demonstrado que temos grande equipe, sabemos o que queremos. Contamos com o apoio de todos e que não nos puxem para trás.”

O meia Bernardo Silva também disse que os jogadores portugueses não ficam estressados por não atuarem. Ao contrário. “Esta foi a formação ideal para este jogo, foi o que o treinador decidiu para este jogo. Temos 26 jogadores prontos para ajudar a nossa seleção. Qualquer alteração que o treinador fizer, os jogadores vão tentar responder da melhor maneira possível.”

link

Japão x Alemanha: nova zebra e protesto contra a Fifa

Desde a conquista da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, a Alemanha só venceu um dos quatro jogos que fez em Mundiais. Na Rússia, teve a pior campanha de sua história, eliminada na primeira fase, com duas derrotas e uma vitória. Nesta quarta-feira (23), estreou no Qatar com mais um revés, diante do Japão, de virada, por 2 a 1.

Antes de a zebra passear em Doha, a partida já estava marcada pelo maior protesto em favor da igualdade de gênero e em apoio à comunidade LGBTQIA+ durante este Mundial, quando os onze jogadores alemães posaram para a foto oficial com a mão na boca, num gesto contra a censura.

Foi a resposta do elenco alemão ao veto da Fifa ao uso da braçadeira com as cores do arco-íris e a inscrição One Love (Um amor), que seria utilizada pelo capitão Manuel Neuer.

No estádio Khalifa, o goleiro usou o adereço oficial da entidade máxima do futebol, com a frase “no discrimination” (não à discriminação).

Quando a bola rolou, as duas equipes protagonizaram um bom jogo. E parecia que os alemães dariam eco ao protesto com uma vitória.

Gündoğan, de pênalti, abriu o placar aos 31 minutos de jogo, após falta cometida pelo goleiro Shuichi Gonda em cima do lateral David Raum. No segundo tempo, ele também quase ampliou, mas acertou a trave.

Antes de virar do avesso, o duelo teve, ainda, dois gols anulados por impedimento, um do japonês Maeda e outro do alemão Kai Havertz, aos 8 e aos 49 minutos da etapa inicial, respectivamente.

Depois do intervalo, os alemães continuaram apertando os japoneses, mas não acharam mais o caminho do gol. E ainda começaram a deixar espaços na defesa. Aos 30 minutos, Ritsu Doan deixou tudo igual. Oito minutos depois, foi a vez de Takuma Asano marcar um bonito gol, para decretar a virada.

Ele recebeu um lançamento nas costas da defesa, invadiu a área e venceu Neuer com um chute forte. Presentes em bom número no estádio Khalifa, os japoneses foram ao delírio com a vitória, em uma festa parecida com a dos sauditas, que, na terça-feira (22), também foram surpreendidos com um triunfo sobre a Argentina, por 2 a 1 –também tendo feito gol de pênalti e também com tentos anulados.

A zebra na estreia dos tetracampeões mundiais, porém, não ofuscou o protesto da Alemanha, que escancarou a insatisfação das seleções europeias contra a Fifa.

Sete países do continente (Inglaterra, Alemanha, Holanda, País de Gales, Dinamarca, Bélgica e Suíça) pretendiam usar a braçadeira One Love, mas foram alertados de que isso levaria os jogadores a serem punidos com cartão amarelo. No Mundial, com dois cartões acumulados um atleta já deve cumprir suspensão.

“Como federações nacionais, não podemos colocar nossos jogadores em uma posição na qual poderiam enfrentar sanções esportivas, incluindo cartões”, disseram os países em nota conjunta.

A seleção belga pretendia, ainda, usar uma camisa predominante branca, mas com cores do arco-íris espalhadas pelo uniforme, com a inscrição “Love” (amor) na gola. Isso também foi proibido.

As federações criticaram a inflexibilidade da Fifa sobre os gestos em favor da igualdade de gênero. A Dinamarca, por exemplo, ameaça se desfiliar da entidade. Antes da partida com o Japão, o presidente da Federação Alemã, Bernd Neuendorf, disse que os jogadores do país estavam “desapontados” com a proibição.

Nesta quarta (23), o veto à braçadeira era o principal assunto na capa do Bild, um dos principais jornais da Alemanha. Em resposta à situação, a cadeia de supermercados Rewe, uma das maiores patrocinadoras da seleção alemã, informou que vai romper o contrato.

“A atitude escandalosa da Fifa é, para mim, absolutamente inaceitável como CEO de uma empresa diversificada e como torcedor de futebol”, disse Lionel Souque, CEO da Rewe.

No Qatar, a homossexualidade é crime. Manifestações de afeto em público entre homens e mulheres também são proibidas. Desde o anúncio de que o país seria a sede do Mundial, a questão foi motivo de preocupação.

A ONG para Humans Rights Watch denuncia que a Polícia da nação do Oriente Médio deteve arbitrariamente e praticou abusos contra migrantes da comunidade LGBTQIA+.

Já durante o Mundial, antes do jogo entre Argentina e Arábia Saudita em Lusail, autoridades locais tomaram uma bandeira do estado de Pernambuco, levada ao estádio por um grupo de brasileiros. Segundo testemunhos que estavam no local, os agentes pensaram que se tratava de uma bandeira de apoio à comunidade LGBTQIA+ por também ter as cores do arco-íris.

Em entrevista à Folha no início de 2020, o secretário-geral do Supremo Comitê da Entrega e do Legado, Hassan Al Thawadi, pediu que as pessoas que viessem ao país estivessem abertas a se adaptar à cultura local.

Na véspera da abertura da Copa, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, causou polêmica ao comentar sobre os casos de discriminação no Qatar. Primeiro, ele chamou de “hipocrisia” dos países europeus as críticas direcionadas à nação do Oriente Médio.

Depois, em sua fala que causou mais revolta, ele comparou a discriminação que teria sofrido na infância por ser um itálo-suíço ruivo com a discriminação sofrida por gays e deficientes.

“Hoje me sinto árabe. Hoje me sinto africano. Hoje me sinto gay. Hoje me sinto deficiente. Hoje me sinto como um trabalhador migrante”, falou. “Claro que não sou qatariano, não sou árabe, não sou africano, não sou gay, não sou deficiente. Mas sinto vontade, porque sei o que significa ser discriminado”, acrescentou.

A fala do dirigente, no entanto, contradiz a postura da entidade que mais uma veta uma ação em defesa da igualdade.

link

Giroud festeja confiança da França para virar placar

Autor de dois gols na vitória por 4 a 1 da França sobre a Austrália na estreia da Copa do Mundo do Qatar, o centroavante Giroud deixou o campo como o principal destaque da equipe. Com os tentos, ele se igualou a Thierry Henry na artilharia da seleção francesa, com 51 gols.

Depois do jogo, ele disse se sentir abençoado por ter a oportunidade de igualar Henry, elogiou a confiança da equipe para buscar o resultado após sair atrás no placar, mas também deixou claro que ainda há margem para melhora.

“O que melhorar? Todo o início de partida, se quisermos ser perfeitos. Temos que entrar melhor no jogo. Ficamos um pouco assustados, mas reagimos rapidamente depois. Conseguimos voltar ao placar e continuar, mesmo que pudéssemos ter feito mais gols, nos encontramos bem, fomos eficazes. Mas nem tudo está perfeito. É muito bom para a dinâmica e a confiança ter virado a maré. Teremos que aprender com esses pequenos erros”, afirmou o jogador de 36 anos, o mais velho a fazer gol pela França em Mundiais (o antigo recordista era Zidane, com 34).

Em relação ao fato de ter feito dois gols na estreia, enquanto mesmo sendo campeão da Copa da Rússia, em 2018, ele terminou sem marcar, o centroavante afirmou que são situações diferentes.

“Sinceramente, não [sinto-me aliviado]. Eu sempre tento ajudar o time como posso e o objetivo é, sempre que tenho a oportunidade, colocar a bola na rede. Desta vez eu não consegui perder, se posso dizer isso, porque recebi grandes bolas. Se você olhar na Copa de 2018, eu não recebi tantas bolas quanto esperava. Mas são tipos diferentes de jogos. Agora é bom para a confiança para o próximo jogo”, afirmou.

Sobre o discurso de Didier Deschamps ao elenco após o mau começo, Giroud disse que o treinador pediu para os jogadores colocarem o despertador antes do jogo.

O meio-campista Rabiot também elogiou o desempenho de sua seleção. “A equipe e eu nos sentimos muito bem hoje. Apesar de termos tido vários desfalques de jogadores machucados, conseguimos começar muito bem a competição. Isso é o mais importante. Temos de continuar assim.”

A nota triste do duelo foi a lesão do lateral esquerdo Lucas Hernández logo no início, no lance do gol australiano. Ele torceu o joelho direito e passará por exames nesta quarta-feira (23). Deschamps está pessimista e diz que há grande chance de o atleta ser mais um cortado.

“Ele tem que fazer exames, mas me parece muito grave”, disse o comandante após a partida. “Será necessário confirmar de qualquer maneira, mas é o grande ponto negro desta noite.”

Giroud dedicou a vitória ao companheiro após a partida. “Estamos muito tristes por estar perdendo mais um companheiro na competição. Gostaria de dedicar o resultado ao Lucky.”

Antes da Copa, a seleção francesa, atual campeã mundial, perdeu Kamara, Maignan, Paul Pogba, Kanté, Kimpembe, Nkunku e Benzema, todos machucados. Se confirmada a gravidade da lesão de Hernández, o treinador ficará com um atleta a menos à disposição, uma vez que só pode convocar um substituto até 24 horas antes do primeiro jogo do Mundial.

link