Jogador de Copa do Mundo fecha contrato de 1 euro por mês

Nikola Kalinic, considerado um jogador de boa capacidade técnica e faro goleador razoável, ficará marcado em sua carreira por ter sido dispensado da seleção croata durante a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Naquele torneio, a Croácia chegou à final, perdendo para a França por 4 a 2. Agora, aos 36 anos, ele está de volta ao clube que o revelou, o Hajduk Split, na Croácia, com um contrato simbólico de 1 euro por mês.

Na de 2018, na Rússia, a Croácia estreava contra a Nigéria. No segundo tempo, com vantagem de 2 a 0 no placar, o treinador Zlatko Dalic chamou Kalinic para ir para o jogo aos 40 minutos do segundo tempo. Porém o atleta, surpreendentemente, recusou-se a cumprir a ordem do técnico, que teve de recorrer a outro suplente, Pjaca, para substituir o centroavante Mandzukic. Dois dias depois do ocorrido, Dalic avisou que Kalinic tinha sido dispensado.

Sem o jogador, a Croácia avançou, avançou, avançou no Mundial. Só perdeu na decisão, 4 a 2 para a França de Griezmann, Lloris, Pogba e Mbappé. O caso nunca foi devidamente esclarecido. A versão de Kalinic é a de que ele não foi a campo porque estava sentindo dores nas costas. O comentário geral foi o de que o então atacante do Milan se revoltara por não ter sido escalado como titular.

Depois desse desligamento, o jogador, que completa nesta sexta (5) 36 anos, jamais teve outra oportunidade na seleção croata, pela qual, de 2008 a 2018, anotou 15 gols em 42 partidas. Já na fase final da carreira no futebol, Kalinic decidiu fincar raízes em seu país natal. E ajudar o clube que o revelou a tentar ganhar o Campeonato Croata depois de quase 20 anos.

Nesta semana, acertou por cinco meses com o Hajduk Split, da cidade em que nasceu e onde começou a jogar bola ainda garoto. O time lidera a competição, que está na metade, com 41 pontos, seis a mais que o Rijeka. O valor do contrato é simbólico: 1 euro (R$ 5,3) por mês. “Foi a negociação mais fácil em meus três anos no Hajduk”, declarou, em tom de brincadeira, Mindaugas Nikolicius, diretor esportivo do clube.

Neste caso, a questão financeira não era relevante, até porque Kalinic embolsou muito dinheiro na vida, tendo atuado profissionalmente na Inglatera (Blackburn), Ucrânia (Dnipro), Itália (Fiorentina, Milan, Roma e Verona) e Espanha (Atlético de Madrid).

Ele jogará por amor ao clube e pela vontade que tem de conquistar esse título com a equipe. O Hajduk ganhou o Croata seis vezes, a mais recente em 2005 –Kalinic estreou no time adulto na temporada seguinte. Este retorno do camisa 9 ao Hajduk não é propriamente uma novidade, pois ele, ao sair da Itália, retornou ao time, em 2021. Atuou até o meio do ano passado, marcando um total de 8 gols em 37 jogos, e parou.

Depois, interrompeu a carreira e decidiu retomá-la agora, com um objetivo específico a atingir. Recebendo, eis aqui a curiosidade e a motivação deste texto, somente 1 euro a cada 30 dias.

Se estivesse no Brasil, mais especificamente em São Paulo, com esse valor ele conseguiria fazer mensalmente uma viagem de metrô e ainda restaria, no fim, R$ 1,50 (preço de um bombom).

 

Nikola Kalinic: Uma Carreira Internacional de Destaque

Nikola Kalinic, nascido em 5 de janeiro de 1988 em Solin, Croácia, construiu uma carreira sólida como atacante ao longo de várias temporadas e em diversos clubes de prestígio no cenário europeu.

Sua trajetória profissional inclui passagens por clubes notáveis:

  1. Hajduk Split (2005-2009): Kalinic iniciou sua carreira profissional no Hajduk Split, clube croata onde se destacou e chamou a atenção de outros times europeus. Durante sua primeira passagem, marcou gols importantes e demonstrou seu potencial como artilheiro.
  2. Blackburn Rovers (2009-2011): Sua primeira aventura fora da Croácia foi no Blackburn Rovers, da Inglaterra, onde teve a oportunidade de competir na Premier League. Sua habilidade como goleador foi evidenciada, e seu desempenho atraiu interesse de outros clubes europeus.
  3. Dnipro Dnipropetrovsk (2011-2015): Kalinic ingressou no futebol ucraniano ao se juntar ao Dnipro Dnipropetrovsk. Durante seu tempo no clube, ele foi uma peça-chave, contribuindo com gols e ajudando o Dnipro a alcançar a final da Liga Europa da UEFA em 2015.
  4. Fiorentina (2015-2017): Sua próxima parada foi na Itália, onde defendeu a Fiorentina na Serie A. Kalinic continuou sua reputação de goleador, deixando sua marca e consolidando-se como um atacante confiável.
  5. Milan (2017-2018): Transferiu-se para o AC Milan, mais um gigante do futebol italiano. Sua passagem pelo Milan foi marcada por contribuições significativas no ataque, solidificando ainda mais sua reputação.
  6. Atlético de Madrid (2018-2020): Kalinic fez parte do elenco do Atlético de Madrid, onde experimentou o desafio da La Liga. Sua presença proporcionou opções ofensivas ao time.
  7. Roma (2020-2021): Em seguida, mudou-se para a Roma, mantendo sua presença no futebol italiano. Sua experiência e habilidades foram valiosas para a equipe da capital.

A carreira de Nikola Kalinic é caracterizada por sua capacidade técnica, faro de gol e contribuições consistentes aos clubes por onde passou. Seu retorno ao Hajduk Split, com um contrato simbólico, destaca seu vínculo emocional com o clube que o viu iniciar sua jornada no futebol profissional.

Start a Conversation

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *