Categoria: Já Joguei!

Jorge Buery

O jornalista Jorge Buery guarda boas recordações da época que atuava como zagueiro na equipe Butantã, de Jardim da Penha, em Vitória.

Ele e seus companheiros disputavam animadas peladas na escolinha de futebol do Sesi, quando resolveram inscrever uma equipe na Copa A Gazetinha, em 1977. A camisa da equipe, lembra Buery, tinha as mesmas cores (vermelho e branco) e era listrada como a do Atlético de Madri, da Espanha.

O time chegou até as quartas-de-final, mas esbarrou em outras equipes mais experientes e acabou desclassificado.

Jorge Buery foi convidado para ingressar no Vitória Futebol Clube. Mas, com muitos compromissos escolares, o jornalista não pôde aceitar o convite e deu por encerrada a sua carreira no futebol.

“O Vitória treinava à noite na praia e aos sábados à tarde. Exatamente nos dias e horários que eu fazia cursinho. Tive que optar por continuar os estudos”, disse Buery.

Pois é, o futebol capixaba pode ter perdido um craque de bola. Mas, em compensação, ganhou um competente jornalista esportivo, considerado titular da equipe da comunicação capixaba.

Jorge Bueri

O jornalista Jorge Buery guarda boas recordações da época que atuava como zagueiro na equipe Butantã, de Jardim da Penha, em Vitória.

Ele e seus companheiros disputavam animadas peladas na escolinha de futebol do Sesi, quando resolveram inscrever uma equipe na Copa A Gazetinha, em 1977. A camisa da equipe, lembra Buery, tinha as mesmas cores (vermelho e branco) e era listrada como a do Atlético de Madri, da Espanha.

O time chegou até as quartas-de-final, mas esbarrou em outras equipes mais experientes e acabou desclassificado.

Jorge Buery foi convidado para ingressar no Vitória Futebol Clube. Mas, com muitos compromissos escolares, o jornalista não pôde aceitar o convite e deu por encerrada a sua carreira no futebol.

“O Vitória treinava à noite na praia e aos sábados à tarde. Exatamente nos dias e horários que eu fazia cursinho. Tive que optar por continuar os estudos”, disse Buery.

Pois é, o futebol capixaba pode ter perdido um craque de bola. Mas, em compensação, ganhou um competente jornalista esportivo, considerado titular da equipe da comunicação capixaba.

Dedé

Valter José Pancieri é o lateral esquerdo Dedé. O jogador nasceu em 17 de março de 1969 em Colatina, no Espírito Santo.

Mas, desde pequeno adotou Santa Teresa como a sua cidade e foi justamente na terra dos colibris que Dedé começou a jogar futebol, defendendo a equipe local na disputa dos campeonatos da Copa A Gazetinha.

Era um dos destaques do time teresense e ainda com a idade de juvenil foi para a Desportiva. No clube grená aprimorou mais ainda o seu futebol e não demorou muito em Jardim América porque foi jogar nem São Paulo, vestindo a camisa do América.

Dedé é um dos jogadores capixabas mais viajados porque, depois do América jogou nas equipes do Sport Recife (PE), Guarani (SP), Atlético Mineiro, Atlético (PR), Botafogo (RJ) e Paraná (PR).

Após participação no clube paraense, retornou para o Espírito Santo, jogando pelo time do Serra e pela sua cidade natal, Colatina.

Dedé participou de dois importantes títulos do Campeonato Pernambucano, sendo campeão em 1996 e 1997. Encerrou carreira na equipe capixaba do Vilavelhense e hoje é um dos treinadores das equipes infantis da Prefeitura de Santa Teresa.

 

Nome: Valter José Pancieri

Data de Nascimento: 17 de março de 1969

Local de Nascimento: Colatina

Clubes em que atuou: Desportiva-ES; América-SP; Sport Recife-PE; Guarani-SP; ATLÉTICO (1995); Ferroviária-SP; Sport Recife-PE; Atlético-PR; Paraná-PR; Botafogo-RJ; Paraná-PR; Serra-ES; Colatina-ES e Vilavelhense-ES.

 

 

China

Seu nome é Carlos Alberto Gomer Kao Yien, mas para o mundo do futebol, é o China. É capixaba de Vitória, onde nasceu em 3 de dezembro de 1964, e é, claro, uma das crias da Copa A Gazetinha.

Em outubro de 1982 jogava a Copa A Gazetinha pela equipe do Rio Branco, quando foi convocado pelo treinador Jair Pereira para se incorporar à delegação da Seleção Brasileira de Juniores.

Desde então, teve diversas grandes equipes incorporadas em seu currículo. Passou, por exemplo, pelo Juniores do Vasco da Gama, Brasília Esporte Clube, Grêmio, Curitiba, Botafogo, Avaí e Desportiva.

Conquistando, também, quatro Campeonatos Capixabas, pelo Rio Branco (1985), pela Desportiva (1992) e pelo Linhares (1995 e 1997).

China encerrou sua carreira em 1999, quando deixou o Avaí de Santa Catarina e regressou para o Rio Branco, clube em que começou sua carreira.

 

Jogador do Grêmio

A FICHA

Nome: Carlos Alberto Gomer Kao Yien, China                                                                          Data de Nascimento: 3 de dezembro de 1964                                                                          Local de Nascimento: Vitória, Espírito Santo                                                                              Clubes em que atuou: Rio Branco-ES, Vasco da Gama-RJ, Brasília-DF, São Bento de Sorocaba-SP, Portuguesa de Desportos-SP, Coritiba-PR, Desportiva Ferroviária, Botafogo FR-RJ, Grêmio-RS, Linhares-ES, A.A. São Mateus, Avaí-SC, Inter de Limeira-SP e Seleção Brasileira

 

Sávio

Habilidoso atacante, Sávio Bortolini Pimentel jogou a Copa A Gazetinha pela Desportiva. Passou a ser cobiçado por grandes clubes brasileiros por causa da sua primorosa presença no primeiro torneio de nível internacional, promovido pela Gazetinha, tendo como destaques o clube argentino do River Plate, Flamengo, Botafogo e Bahia.
Com tantas opções, o senhor Mazinho, pai do Sávio, não teve alternativa a não ser perguntar para qual clube gostaria de ir. A resposta do Sávio todos sabem qual é. E foi assim que, em 1988, com 14 anos, foi para as categorias de base do Flamengo.
O menino canela-verde, que nasceu em 9 de janeiro de 1974, logo brilhou em todas as categorias do Flamengo, chamando a atenção da torcida e de toda a mídia esportiva. Assim, no ano do centenário do Flamengo, em 1995, ao lado de Romário e Edmundo, formou o chamado “ataque dos sonhos”.
O jovem atacante também teve participações na Seleção Brasileira, sendo destaque da Seleção Sub-23 em 96, deixando, inclusive, Ronaldo Fenômeno no banco de reservas.
Apesar do carinho e apoio que tinha da torcida rubro-negra, em 1997, Sávio foi negociado com o Real Madrid, time em que permaneceu até 2002, conquistando importantes títulos como um Campeonato Espanhol, três Liga dos Campeões da Uefa e um Mundial Interclubes.
Do Real Madrid, Sávio foi vendido para o também espanhol, Real Zaragoza, equipe em que conquistou o título Copa do Rei e a Supercopa, em 2004 e foi imortalizado no hall dos ídolos do clube.
Em 2006, Sávio voltou para o Flamengo, clube que admite ser seu time de coração, em uma passagem rápida de apenas um ano. Isto, pois em 2007 retornou à Espanha, para o elenco do Real Sociedad, passando também pelo elenco do espanhol Levante. Rescindido o contrato com o Levante em 2008, Sávio voltou à Vila Velha e ao time que o revelou, a Desportiva. Passando também pelo europeu Anorthosis, de Chipre, e pelo brasileiro Avaí, anunciando sua aposentadoria em 2011. O bom futebol de Sávio deixou saudades!

A FICHA
Nome: Sávio Bortolini Pimental
Data de Nascimento: 9 de janeiro de 1974
Local de Nascimento: Vila Velha, Espírito Santo
Clubes em que atuou: Desportiva, Flamengo, Real Madrid, Real Zaragoza, Real Sociedad, Levante, Anorthosis, Avaí

CARLOS GERMANO

Carlos Germano Schwambach Neto, nasceu na cidade de Domingos Martins, em 14 de agosto de 1970 .Desde de pequeno sonhava em ser um goleiro como o seu pai Pedrinho e o seu tio Ivo, ambos com passagens pelo Fluminense e pelo Sport Club Campinho, até hoje o principal time do futebol martinense.

E o caminho mais curto que encontrou para seguir a trajetória de seu pai e do seu tio foi disputar a Copa A Gazetinha, defendendo a equipe do município de Viana, nas finais de Guaçuí (FOTO).

Pelo Vasco da Gama, Carlos Germano participou de diversas conquistas, como o tricampeonatovascaíno no Campeonato Brasileiro, sendo eleito o melhor goleiro da competição, e tambémo segundo jogador a vestir a camisa cruzmaltina mais vezes, em 632 jogos.

O goleiro também era presença garantida na Seleção Brasileira das categorias inferiores, conquistando em 1988 o Campeonato Sul – AmericanoSub-20.

Na seleção principal foi campeãoda Copa América de 1997 e participou da Copa do Mundo de 1998, em que o Brasil ficou com o segundo lugar.Além do Vasco da Gama, Carlos Germano já passou por times consagrados como Santos,Portuguesa, Botafogo, Paysandu, América, Madureira e o português Penafiel.

Atualmente, o atleta é treinador de goleiros na equipe do Vasco da Gama. Carlos Germano, comcerteza, é inspiração para vários meninos que sonham com o futebol profissional, e, claro, temosum enorme orgulho de o termos como revelação da Copa A Gazetinha.

Carlos Germano defetendo o Vasco da Gama
Carlos Gernano na Copa A Gazetinha